Comer apenas quando se tem fome deveria ser a coisa mais fácil e natural do mundo, mas não é. Muitos de nós também comem por tédio, tristeza, solidão, raiva ou estresse e acabam ganhando peso.

Enquanto comer emocional geralmente nos deixa inchados e culpados, na verdade, nos faz sentir melhor em um nível químico. “A gordura e os carboidratos liberam opioides para aliviar a dor no cérebro, fazendo-nos sentir melhor”, diz a professora Julia Buckroyd, psicóloga e especialista em comportamento alimentar na Universidade de Hertfordshire.

Mas isso se torna um hábito e também é um obstáculo para perder peso. Lidar com as razões emocionais pelas quais comemos demais é um fator importante na perda de peso sustentada a longo prazo.

Como resolver o problema? Aqui estão cinco emoções diárias que você precisa observar que podem prejudicar seus melhores esforços para perder peso:

Emoção: Solidão ou tédio (especialmente à noite)

Solução não alimentar: O tempo livre não estruturado à noite é geralmente o momento mais perigoso para comer em excesso ou comer emocional, diz o Dr. David Veale, psiquiatra e co-autor de Manage Your Mood: How to Use Behavioral Techniques To Overpression Depression.

Planeje sua semana em um domingo e tente incluir algumas atividades noturnas que são importantes para você. Manter um cronograma de atividades, onde antes você estava em um estado de folga, também pode ajudar se o problema for tédio e a solidão for de longo prazo.

Emoção: Estresse

Solução não alimentar: Antes de comer qualquer coisa, pergunte a si mesmo: “O que estou sentindo de fato, o que está acontecendo?” Isso age como uma bandeira vermelha antes de uma compulsão e também ajuda você a ter uma perspectiva e pensar no problema.

Em seguida, dê um passeio. Isso pode ajudá-lo a pensar e mudar sua mentalidade, liberando endorfinas que melhoram o humor. Um estudo da Universidade de Exeter descobriu que apenas 15 minutos de caminhada podem reduzir o desejo por comida.

Emoção:  Ansiedade

Solução não alimentar: faça uma pausa e pergunte a si mesmo o que está te pré-ocupando. Muitas vezes ficamos ansiosos com situações que não estão sob nosso controle e ficamos ansiosos sem necessidade. Escrever sobre o que está causando ansiedade e em como você pode lidar com esta situação ajuda a “diminuir o tamanho do monstro”. E como você deve saber, fazer atividade física sempre ajuda.

Emoção: Raiva

Solução não alimentar: Comer para “digerir” a raiva é o caminho que muitos encontram para lidar com esta emoção, especialmente as pessoas que se identificam com o perfil de boazinhas, amáveis ou educadas.

Encontrar uma forma de canalizar e extravasar a raiva sem ser comendo com certeza irá ajudar a diminuir o comer emocional. Para algumas pessoas pode ser útil sentar-se com a sua raiva e examinar esta emoção, até que ela naturalmente se abrande.

Emoção: cansaço, mas não consegue relaxar

A vontade de carboidrato é urgente…esta é a maneira de o seu cérebro se acalmar, pois a massa branca libera imediatamente triptofano, a partir do qual é feita a serotonina, um neurotransmissor calmante. Se você está cansado e conectado, provavelmente precisará de algo além de comida a curto prazo para se acalmar, diz o Dr. Roger Gould, professor de psiquiatria da UCLA.

Solução não alimentar: Qualquer coisa, desde uma soneca de 10 minutos até uma meditação curta, pode ajudar. Se você está cansado do cansaço, pergunte a si mesmo o que você precisa fazer para ajudá-lo a relaxar, que não envolve comida e você está no meio do caminho.

Participe do Desafio EmagreSemente  de 21 dias!